AVALIAÇÃO

Concebemos a avaliação como um processo complexo de reflexão, regulação e ajuda.

Nesse sentido, não é possível avaliar o processo de ensino e aprendizagem somente com uma prova ou conceito. Para que a avaliação possa ser um instrumento que ajude o aluno em sua aprendizagem, a concebemos como um conjunto de atividades motivadoras. Dentro de um projeto, sequência ou atividade permanente descrevemos objetivos de aprendizagem que são avaliados a partir de diferentes atividades ao longo do estudo.

A cada trimestre, os pais e alunos recebem uma pasta com documentos que sintetizam a avaliação do aprendiz. Nesses registros estão listados os objetivos de aprendizagem e os indicadores da qualidade da aprendizagem realizada. Nesse percurso, o aluno vivencia também momentos de autoavaliação, que oferece recursos para o aluno tomar consciência e autorregular aspectos da sua aprendizagem.
Algumas avaliações individuais com data marcada acontecem a partir do 4º ano, mas não substituem a avaliação de todo o processo. Elas visam preparar o aluno para vivenciar esses momentos individualizados, para os quais é necessário estudar com antecedência. Essas avaliações individuais são consideradas como um dos instrumentos de análise das aprendizagens escolares. Também é a partir da 4º ano que os alunos passam a receber conceitos relativos a cada área.

Para além da avaliação centrada na aprendizagem do aluno, concebemos esse processo com vistas a sustentar e orientar as ações educativas.